Matérias Corrosivas

Esta semana temos a penúltima classe do livro laranja das Nações Unidas: matérias corrosivas (8).

Classe 8 – Matérias CORROSIVAS

As matérias corrosivas são as matérias que, pela sua ação químicas, podem causar danos irreversíveis à pele ou, no caso de uma fuga, podem causar danos, ou mesmo destruir outras mercadorias ou os meios de transporte. São igualmente abrangidas pelo título desta classe as matérias que apenas formam uma matéria corrosiva líquida em presença da água ou que, em presença da humidade natural do ar, produzem vapores ou neblinas corrosivas.

potencial de hidrogénio

A escala de pH com alguns exemplos.

O pH (abreviatura de potencial de hidrogénio) exprime a acidez, a neutralidade ou a alcalinidade de uma solução ou de um líquido orgânico, numa escala que vai de 0 a 14. Um pH de 7 indica neutralidade, um pH de 6,9 a 1 é progressivamente mais ácido e um pH de 7,1 a 14 é progressivamente mais alcalino (ou básico).

Reação de latas de alumínio com uma base e um ácido.

SUBDIVISÃO DA CLASSE 8

C1-C11 – Matérias corrosivas sem perigo subsidiário e objetos que contenham essas matérias:

                C1-C4 – Matérias de carácter ácido;

                                 C1 – Inorgânicas, líquidas;

                                 C2 – Inorgânicas, sólidas;

                                 C3 – Orgânicas, líquidas;

                                 C4 – Orgânicas, sólidas.

                C5-C8 – Matérias de carácter básico:

                                 C5 – Inorgânicas, líquidas;

                                 C6 – Inorgânicas, sólidas;

                                 C7 – Orgânicas, líquidas;

                                 C8 – Orgânicas, sólidas.

                C9-C11 – Outras matérias corrosivas:

                                 C9 – Líquidas;

                                 C10 – Sólidas;

                                 C11 – Objetos.

CF – Matérias corrosivas, inflamáveis:

                CF1 – Líquidas;

                CF2 – Sólidas.

CS – Matérias corrosivas, suscetiveis de auto aquecimento:

                CS1 – Líquidas;

                CS2 – Sólidas.

CW – Matérias corrosivas que, em contacto com a água, libertam gases inflamáveis:

                CW1 – Líquidas;

                CW2 – Sólidas.

CO – Matérias corrosivas comburentes:

                CO1 – Líquidas;

                CO2 – Sólidas.

CT – Matérias corrosivas tóxicas e objetos que contenham essas matérias:

                CT1 – Líquidas;

                CT2 – Sólidas;

                CT3 – Objetos.

CFT – Matérias corrosivas, inflamáveis e tóxicas.

COT – Matérias corrosivas, comburentes e tóxicas.

CLASSE 8 – INTERVENÇÃO

Associando a doutrina da International Fire Service Training Association (IFSTA) com a versão mais recente do ERG, e dividindo o cenário de incidente com matérias da classe 8 em situação com ausência e presença de fogo, pode-se considerar as seguintes opções para os agentes de proteção civil (APC) que atuem como primeiros intervenientes (“first responders“):

Incidente sem presença de fogo: isolar e evacuar 50 metros em todas as direções (o ERG aconselha 50 metros para líquidos e 25 metros para sólidos), criar diques de contenção para prevenir que as matérias se introduzam em esgotos, canais de água, caves e espaços confinados. Em caso de fuga de substância sólida cobrir com um “oleado” de plástico para manter a matéria seca e prevenir que se espalhe. Pode-se equacionar o uso de espuma para reduzir a emissão de vapores e o uso de projecção de água para dispersar ou redirecionar vapores concentrados. Deve-se evitar a aplicação de água sobre o produto derramado e a sua projeção para o interior de contentores.

Incidente com presença de fogo: isolar e evacuar 800 metros em todas as direções, manter distância de segurança do foco do incêndio, proteger as exposições e deixar as matérias envolvidas serem consumidas pelo fogo. Em caso de combate às chamas, criar diques de contenção para prevenir que as águas resultantes se introduzam em esgotos e canais de água. Evitar projecção de água para o interior dos contentores

SINALIZAÇÃO DA CLASSE 8 [ADR]

Classe 8 – Risco de queimaduras por corrosão. Podem reagir fortemente entre elas, com a água ou com outras substâncias. A matéria derramada pode libertar vapores corrosivos. Risco para o meio aquático ou para as redes de esgotos.


O maior desafio para intervir em acidentes da classe 8 é, sem dúvida, a contenção. O uso de água irá diluir a substância e poderá aumentar o problema, logo a sua utilização, embora possa ser equacionada, deve ser evitada. Deve-se ainda ter em consideração que os equipamentos de proteção individual oferecem pouca, ou nenhuma, proteção neste tipo de cenários, os vapores libertados das substâncias, ou resultantes de reações que as envolvam, podem permear as camadas dos fatos e até reagir com as borrachas das peças faciais (por exemplo).

intervir.pt | tome parte.


One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s